Aprender

Crescimento, autoconhecimento, autoestima e bem-estar

4 aos 10 anos
Estou a crescer

Como era eu? Como sou agora?

Como é que me imagino já crescido(a)?
À medida que o tempo passa, o nosso corpo vai crescendo. 
Ficamos mais altos, mais fortes, crescem-nos novos dentes...
Mas não é apenas o corpo que cresce: também nós, cá por dentro, ficamos mais crescidos, capazes de fazer cada vez mais coisas. Isso é crescer!
Pensa: desde que nasceste, o que é que já mudou em ti?

És especial! E por isso deves tratar-te bem...
Para o corpo humano crescer bem, para te sentires bem (por dentro e por fora), tens de tratar com cuidado esse corpo que anda sempre contigo...
Tens de ser TEU AMIGO!

O que é importante para tratarmos bem o nosso corpo?
Vamos fazer uma lista bem comprida...

  • Sentirmo-nos protegidos;
  • Termos mimos;
  • Alimentarmo-nos bem;
  • Tratar da saúde (ir ao pediatra, ao dentista...);
  • Ter uma vida ativa;
  • Ter amigos e brincar;
  • Dormir bem;
  • Tomar o pequeno-almoço;
  • Lavar os dentes;
  • Ter cuidado com o sol.

Sono, higiene oral e cuidados solares

4 aos 10 anos
Gosto de mim... trato-me bem!

Sabias que é durante o sono que o nosso corpo liberta a substância mágica que nos faz crescer? Por isso, quanto mais dormires, mais vais crescer!
É também enquanto dormes que...
  • O teu corpo fabrica anticorpos que combatem as doenças.
  • O teu corpo cicatriza melhor as feridas.
  • O teu cérebro guarda tudo o que prendeste durante o dia.
  • O teu cérebro cresce e amadurece.

10 - Decora este número. 

Na tua idade, entre os 6 e os 10 anos, são estas as horas que deves dormir por dia (ou por noite...)
Ora pensa:
  • Para dormires as tais 10 horas:
  • Se acordas às 7, deves deitar-te às....
  • Se acordas às 7.30, deves deitar-te às...
  • Se acordas às 8, deves deitar-te às...
  • Se acordas às 9, deves deitar-te às...
Outra regra importante: Pequeno-almoço todos os dias e completo.

Quando não tomas o pequeno-almoço:

  • Não te concentras bem.
  • Aprendes com dificuldade.
  • Ficas mal-humorado!
  • Adoeces com mais facilidade.
  • Ficas cheio de fome... e podes comer em excesso durante o dia!
Um corpo sempre limpinho, se faz favor...
Muito, muito importante é lavar as mãos várias vezes ao longo do dia. Assim vais evitar muitas doenças... é que se os micróbios estão nas tuas mãos, depressa chegam à tua boca...

Alimentos: energia, nutrimentos e grupos

4 aos 10 anos
Conversa à volta da travessa
Os alimentos dão-nos a energia necessária para o corpo funcionar. Isto é respirar, movimentar-se, pensar...
Dão-nos também todos os elementos (chamam-se nutrimentos) de que o corpo precisa para combater as doenças, formar os tecidos do corpo humano (os músculos ou os ossos, por exemplo).
Cada alimento dá-nos nutrimentos únicos e nenhum deve ficar de fora da nossa alimentação.

Como é que eu sei quais os alimentos de que preciso para crescer bem?
Felizmente existe a Roda, que nos dá uma ajuda!

A Roda dos Alimentos é um esquema para nos ajudar a comer de forma saudável.
A Roda é como se fosse um prato que representa a nossa alimentação ao longo do dia. Atenção: não é preciso comer exatamente o que lá está, mas ter em atenção o tamanho das fatias da Roda.
Olhando para o tamanho das fatias, quais são os alimentos que devemos comer em maior quantidade ao longo do dia? 
E em menor?
Quais pertencem ao grupo das frutas?
Quais pertencem ao grupo do leite e derivados?
E quais são os alimentos de que gostas mais?

Quais são os que gostas menos?
3 Regras importantes:
1. Comer alimentos de todos os grupos.
2. Variar os alimentos: por exemplo, não comer sempre a mesma fruta.
3. Comer mais alimentos das fatias grades; menos alimentos das fatias pequenas.
 
Para conheceres bem os alimentos...
Deves saber também de onde vêm!
Os alimentos não vêm todos do mesmo sítio. Alguns nascem nas árvores, outros na horta, outros vêm do mar... 

És capaz de indicar de onde vêm estes alimentos?
Quais vêm do mar?
Quais vêm das árvores?
Quais vêm da horta?

As regras de ouro da alimentação

4 aos 10 anos
A alimentação é uma coisa complicada?

 Claro que não!

  1. Temos fome
  2. Comemos o que precisamos.
  3. Gastamos o que comemos.
  4. Voltamos a ter fome.
  5. Voltamos a comer.

Mas se a alimentação é tão fácil…
O que há para aprender afinal?

Nem todas as pessoas comem de maneira saudável.
Algumas comem mais do que precisam. Não gastam tudo e ficam obesas!
Outros não comem toda a variedade de alimentos de que precisam... e ficam com problemas de saúde.

Por isso é tão importante saber comer.
Mas afinal o que é comer bem?
Comer bem é...
  1. Comer de tudo um pouco.
     (isto é, alimentos de todas as fatias da Roda)
  2. Variar os alimentos dentro de cada grupo.
    (por ex. não comer sempre maçãs, mas experimentar outras frutas)
  3. Seguir as proporções da Roda. 
    (comer mais alimentos das fatias grandes e menos quantidade de alimentos das fatias pequenas)
  4. É fácil ou não é? São só 3 regras, mas são de ouro!

Pequeno Teste!
(Não te assustes...)
Com tudo o que aprendeste: qual destes menus é mais saudável?
Menu 1
Entrada: croquete frito recheado
Prato: Batatas fritas com dois bifes e um ovo
Sobremesa: Mousse de chocolate decorada com natas
Menu 2
Entrada: Sopa de abóbora e espinafres
Prato: Arroz de cenoura, salada e bife de peru com cogumelos
Sobremesa: Salada de fruta


Fácil!
Claro que é o menu n.º 2...
... Porque segue melhor os conselhos da Roda:
Tem mais legumes, mais fruta, mais cereais e derivados, menos gorduras.
O menu n.º 2 tem gorduras e proteínas em excesso para uma só refeição (muita carne, muitos ovos, natas) e ainda por cima não tem legumes nem fruta...


A importância das frutas e produtos hortícolas

4 aos 10 anos
Um arco-íris no teu prato!

As frutas e os alimentos da horta (por isso se chamam hortícolas...) são verdadeiros SUPER ALIMENTOS porque:
  1. Ajudam-nos a prevenir e a combater as doenças.
  2. São como um remédio natural que combate algumas infeções (como dores de garganta).
  3. Contêm substâncias que combatem o envelhecimento e protegem as nossas células.
Dá exemplos de frutas e legumes onde predominem cada uma destas cores:
  • Amarelo;
  • Cor-de-laranja;
  • Vermelho;
  • Verde;
  • Roxo;
  • Branco
Procura na imagem abaixo alguns dos alimentos que escolheste:

Balanço energético e hábitos alimentares

4 aos 10 anos
É uma questão de matemática...

Imagina que num prato da balança está a energia que entra no nosso corpo através dos alimentos.
Num outro prato da balança está a energia que sai do nosso corpo (gasta nas nossas atividades).
Se comermos de mais os pratos da balança desequilibram: acumulamos energia e ganhamos peso!
Mas, calma! A alimentação saudável não se decide toda numa só refeição. O que conta são os hábitos alimentares, ou seja o que comemos ao longo do dia e da semana.
Por isso, relaxa: 

  • Se comeres menos legumes ao almoço, podes compensar ao jantar. 
  • Se comeres um doce com muita gordura em dia de festa, não é por isso que não tens uma alimentação saudável.
O que conta é a soma de tudo o que comes.

A importância do exercício físico

4 aos 10 anos
Não fomos feitos para estar parados

«Parece que tens “bichos-carpinteiros!”» dizem os adultos. 
E é verdade: os mais novos adoram mexer-se! 
Trepar a uma árvore, escavar buracos na areia, nadar, fazer corridas de bicicleta... 
Mas então... porque se diz que muitas crianças estão cada vez mais paradas e têm peso a mais?
Algumas razões são:

  • As nossas cidades têm poucos espaços para brincar ao ar livre...
  • Andamos muito de carro...
  • Passamos muito tempo em casa a ver televisão, jogar computador...
  • Comemos alimentos com muita energia...
É importante perceberes:
  1. Os alimentos dão-nos energia;
  2. Alguns alimentos têm mais energia do que outros;
  3. Aquilo que fazemos (dormir, brincar, crescer) faz-nos gastar energia;
  4. Há atividades que nos fazem gastar mais energia do que outras.
Se não gastamos a energia toda: ganhamos peso a mais! (e isso não é bom, podemos ficar doentes...).
Conseguem dar exemplos de atividades nos fazem gastar pouca energia?
E atividades que nos fazem gastar muita, muita energia?
Quais as tuas preferidas?

Do que o exercício físico é capaz:
  • Ajuda o coração e os pulmões a trabalhar melhor;
  • Mantém os músculos e os ossos fortes;
  • Torna-nos mais bem-dispostos e ajuda a dormir melhor;
  • Queima energia, ajudando a controlar o peso.

Materiais Pedagógicos

4 aos 10 anos
Uma história para ser lida na sala de aula, durante a hora do conto e que transporta os vários personagens à Terra do Crescer Bem, uma terra onde todos os alimentos têm vida.

Brochura “A Roda dos Alimentos” 

Um documento que aborda a temática da roda dos alimentos. Contém informações, jogos e atividades.
Uma folha de recortes com vários elementos sobre estilos de vida saudáveis documento que aborda a temática da roda dos alimentos.

A História da Alimentação

10 aos 14 anos
Da fogueira ao micro-ondas
A vida na Pré-história não era fácil... 
O Homem tinha de caçar (e muitos animais queriam caçá-lo a ele...).
A alimentação condicionava toda a sua vida: quando os alimentos se esgotavam num lado, o Homem mudava-se para outro.
Nessa altura a maioria das pessoas não vivia além dos 40 anos.

Os sabores também viajam
À medida que foram aumentando os contactos entre os povos, os alimentos passaram a circular com mais facilidade. Alimentos que eram exclusivos de uma região passaram a ser comuns noutra.
Sabias que, por exemplo, o milho, o tomate e o feijão só vieram para a Europa no tempo dos Descobrimentos?

De revolução em revolução
Outra mudança importante que se deu foi ao nível da conservação: primeiro o Homem apercebeu-se de que os alimentos cozinhados duravam mais tempo do que os crus. Depois foi descobrindo novas formas de os conservar: através do sal, do fumo, do açúcar, da secagem ou da fermentação.
No século XIX houve mais descobertas “bombásticas”!
A esterilização e a pasteurização permitiram conservar os alimentos durante mais tempo, transportá-los para outros lugares (longe da origem) e ajudar as pessoas a diversificar a sua alimentação.

O que mudou nos últimos tempos?
Há 50 anos quase todas as pessoas tinham uma horta, cultivavam animais. Não existiam supermercados, as mulheres trabalhavam em casa (uma das suas tarefas era tratar da alimentação da família). 

Aos poucos, houve uma mudança: muita gente do campo veio viver para as cidades, as mulheres começaram a trabalhar, surgiram novos produtos alimentares, novos eletrodomésticos que mudaram as nossas rotinas à volta dos alimentos, novos pontos de venda.
Tudo isso fez mudar o modo como nos alimentamos.
Na tua opinião: quais os aspetos positivos e os mais negativos do modo como hoje nos alimentamos?

Autoconhecimento e Autoestima

10 aos 14 anos
De onde vem esta fome?

Primeiro a natureza brinda-nos com um corpo fantástico, composto por milhões de células inteligentes.
Dá-nos também 5 sentidos que nos ajudam a saborear as maravilhas do mundo, as suas cores, cheiros, formas e texturas...
Dá-nos a capacidade de transformar os alimentos em energia...
E disponibiliza alimentos saborosos, disponíveis na terra, no mar, nas árvores... capazes de despertar o nosso apetite.
A Natureza pensou em tudo. E é assim que garante a sobrevivência e a continuidade da nossa espécie.
E agora vamos falar de ti...
(E o que tenho eu a ver com tudo isto?)
És um corpo, alimentas-te.
És único, deves tratar bem de ti.
Para seres um corpo saudável (e feliz) há coisas que não devem faltar.
Preparado para um monte de perguntas?
O que gosto em mim? 
O que gostava de mudar? 
Estou em forma? 
O que faço para cuidar de mim? 
Sou ativo ou sedentário? 
Como vai a minha alimentação? 
Quais os momentos em que tenho mais fome?
O que faço bem? 
O que preciso de mudar?
No teu caso, quais são os aspetos relacionados com a vida saudável que podem ser melhorados?

A importância de uma vida ativa

10 aos 14 anos
Sedentários: Não entres para o clube!

Ser sedentário é...

Quais destas frases podem completar este título?

- Estar o dia todo sentado em frente ao computador.
- Brincar muito ao ar livre, correr, jogar com os amigos...
- Andar sempre de carro.
- Praticar uma atividade desportiva com regularidade.
- Ver muitas horas de televisão seguidas, todos os dias.
- Gostar de andar a pé ou de bicicleta.
- Não ter uma vida ativa, movimentar pouco o corpo.

O nosso corpo foi feito para ter uma atividade física regular.
Se pensares bem, para sobrevivermos, sempre tivemos de nos mexer (caçar, cultivar os campos, tratar dos animais).

Acontece que hoje, nos países desenvolvidos, a vida mudou:
- Em quase todas as profissões, passamos o dia sentados (até na escola);
- Porque existem muitos transportes, já quase não andamos a pé; 
- Existem eletrodomésticos e outras ferramentas que nos ajudam nas diferentes tarefas;
- A juntar a tudo isto, temos hoje uma grande quantidade e variedade de alimentos à nossa disposição (muitas vezes, alimentos que contêm muita energia concentrada).

Resultado: ingerimos muita energia, mas não a gastamos toda. E por isso estamos a ganhar peso! Por isso é tão importante, preocuparmo-nos em ter uma vida ativa.
Não esqueças: Diferentes pessoas, diferentes necessidades.
As pessoas têm diferentes necessidades de energia. Por exemplo, quem passa o dia a andar de bicicleta ou a jogar futebol, precisa de ingerir mais calorias ao longo do dia. Quem passa o dia sentado a olhar para o ecrã, precisa de menos.
Estas vantagens podem ser tuas!

Quem se mexe:
- tem menos probabilidade de ficar obeso.
- tem um coração mais forte e saudável.
- tem 33% a 50% menos probabilidades de ter diabetes.
- tem músculos, tendões, ossos e ligamentos mais fortes.
- sente-se melhor, tem melhor humor e autoestima.
- dorme melhor.
- reage melhor ao stress e tem menos ansiedade.


A importância do pequeno-almoço

10 aos 14 anos
De manhã: Mnham Mnham!

O pequeno-almoço é de ouro.
Já te devem ter dito mais de Oito Milhões Setecentas e Noventa e Quatro Vezes... 
Mas nós repetimo-lo: não saias de casa sem comer. Precisas de um pequeno-almoço completo para aprenderes melhor na escola, para estares ativo e bem-humorado e para não te “empanturrares” depois ao longo do dia!
Porque é tão importante afinal?
Depois de uma noite de sono, o corpo precisa de repor os níveis de energia, nutrimentos e água que foram diminuindo ao longo da noite. 
O pequeno-almoço é ainda capaz de uma outra proeza: dosear a ingestão de calorias ao longo do dia, evitando que o nosso corpo tenha o impulso de comer em excesso nas refeições seguintes. A longo prazo, o pequeno-almoço é uma excelente ‘arma’ para evitar a obesidade.

Em resumo, as funções do pequeno-almoço são:
1. Quebrar o jejum noturno
2. Hidratar
3. Repôr energia
4. Contribuir para uma alimentação mais equilibrada ao longo do dia

Pequeno-almoço: existe uma fórmula?
Sim existe. Os nutricionistas aconselham:
- CEREAIS (pão, cereais de pequeno-almoço, de preferência de farinhas integrais);
- LACTICÍNIOS (leite, queijo, iogurte… pois têm proteínas e nutrimentos variados);
- FRUTA (pois são ricas em vitaminas, minerais, fibras e água);
Os nutricionistas dizem ainda que qualquer pequeno-almoço “que se preze” deve conter uma bebida para assegurar a hidratação do corpo.
E quando não o tomamos?
Sem glicose no sangue, o “combustível” que obtemos dos alimentos, o corpo começa a falhar. A falta do pequeno-almoço pode ter consequências graves:
- Descidas perigosas da glicose no sangue (as chamadas hipoglicémias), que podem provocar desde suores frios e fraqueza, a desmaios;
- Mau humor, má disposição em geral. Em alguns casos impaciência e até mesmo agressividade...
- Diminuição das capacidades de concentração, aprendizagem, memória, reflexos.
Se queres tirar boas notas, lê isto:
Os nutricionistas consideram o pequeno-almoço uma refeição obrigatória para quem está a aprender. Todos os estudos mostram como tomar o pequeno-almoço influencia a memória (guardar a informação e ir buscá-la quando precisamos) e é importante para gerirmos informações complexas, problemas e desafios.
Nos estudos feitos, os cientistas constataram que os jovens que “saltaram” a primeira refeição do dia erraram bastante mais nos testes do que aqueles que tinham reservado algum tempo para se alimentar.

Consumo responsável

10 aos 14 anos
Comer também é pensar!

O Rótulo responde às tuas dúvidas. A sério, pergunta-lhe!
Quando olhamos para os rótulos dos alimentos, aprendemos a distingui-los entre si... e o que nos parecia semelhante pode ser bem diferente. 
Por exemplo, as bebidas, como os sumos de fruta, néctares e refrigerantes. A diferença na quantidade de fruta presente pode ser “do dia para a noite” e o mesmo para a quantidade de açúcar.
Através do rótulo, podes fazer comparações e fazer escolhas mais conscientes (sem ser às cegas...).

Observa o rótulo de um produto alimentício que tenhas na dispensa e pergunta-lhe (e, já agora, responde-nos):
- Qual o ingrediente que contém em maior quantidade? 
- Até quando deve ser consumido? Como deve ser conservado?
- Qual a quantidade de energia que uma porção nos fornece?
- A que percentagem corresponde esta energia no total de energia de um dia (VDR)?

Cábula do Consumidor:
Comer bem é estar atento (não só à mesa, mas também no supermercado ou na cozinha).
1. Quando vou às compras, verifico se o supermercado está limpo, arrumado e com os frigoríficos a funcionar bem.
2. Antes de comprar produtos alimentares devo comparar a listagem de ingredientes das diferentes marcas.
3. O prazo de validade dos produtos é essencial. Devo verificá-lo sempre (antes de comprar e antes de consumir).
4. Os alimentos que necessitam de frio devem ser os últimos a ser comprados.
5. Em casa, sigo as indicações relativas à conservação dos produtos. 
6. Lavo sempre as mãos antes de tocar nos alimentos.
7. É importante que a cozinha e respetivos utensílios estejam limpos.
8. Procuro escolher no dia-a-dia modos de preparação dos alimentos mais saudáveis (e deixo os excessos para os dias de festa).

Energia e Nutrimentos

10 aos 14 anos
O que nos dão os alimentos?

O nosso corpo é composto por milhões de células.
Todas estas células precisam de três coisas essenciais para nos mantermos vivos e de boa saúde:  
Água, Energia e Nutrimentos...
Tudo isto, vamos buscar aos alimentos.
Mas como saber o que um alimento “tem lá dentro”?
Em primeiro lugar: ENERGIA.
Esta energia é usada para construir o corpo, mantê-lo em funcionamento (respiração, batimento cardíaco) e para todas as nossas atividades. 
É importante medir a energia dos alimentos para saber se estamos a comer de forma adequada ao que precisamos.
Por vezes ingerimos mais energia do que aquela que gastamos.
Por vezes ingerimos menos energia do que aquela que gastamos.
Por vezes ingerimos tanta energia como aquela que gastamos.
Observa as três balanças e decide:
Engordamos, emagrecemos ou mantemos o peso?
Para além de energia, os alimentos contêm nutrimentos.
Os nutrimentos são substâncias com capacidades especiais, ou seja com especialidades. Por exemplo:
  • Os hidratos de carbono especializaram-se em fornecer energia;
  • As proteínas são especialistas em construir tecidos;
  • As gorduras protegem-nos do frio e são uma reserva de energia; 
  • As vitaminas são especialistas em manter o corpo saudável;
  • Os sais minerais são especialistas em manter o corpo em equilíbrio;
  • As fibras fazem os intestinos funcionar bem.

A Roda dos Alimentos

10 aos 14 anos
Entra na Roda!

A Roda dos Alimentos é uma representação que nos diz como comer de forma saudável, ou seja de forma completa, equilibrada e variada.
Mastiga bem estas palavras:

COMPLETA, EQUILIBRADA e VARIADA... 

O que é que elas quererão dizer efetivamente?
Completa: deves incluir alimentos de todos os grupos.
Equilibrada: deves seguir as proporções das fatias da Roda (mais alimentos das fatias maiores...)
Variada: deves variar os alimentos dentro dos grupos.

Os Cereais e Derivados e Tubérculos: os cereais de pequeno-almoço, o arroz, as massas, o pão. E também os tubérculos, como a batata. Dão-nos hidratos de carbono (ou seja, energia).
Os Produtos Hortícolas: quem é como quem diz, tudo o que vem da horta: cenoura, alface, tomate, espinafres, couves... Dão-nos fibras, vitaminas (A, B, C...) e minerais.
A Fruta: dispensa apresentações. Dá-nos vitaminas, fibras, minerais e hidratos de carbono.
São estes os alimentos que deves comer em menor quantidade.
Laticínios: ou seja, leite, iogurtes, queijo... São ricos em proteínas de alta qualidade e cálcio e fósforo, importantes para os ossos e cérebro.
Carne, pescado e ovos: o nome diz tudo. São ricos em proteínas de alta qualidade, vitaminas do grupo B e minerais, como o ferro.
Leguminosas: contêm muitas proteínas e também fibras, essenciais ao bom funcionamento do intestino.
Gorduras e óleos: ricos em gordura, contêm muita energia e vitaminas A e E, importantes para a saúde das células.
As porções:
A Roda dos Alimentos recomenda um intervalo de porções para cada grupo (por ex. fruta 3 a 5 porções). O limite inferior destina-se às crianças mais pequenas, os superiores aos rapazes adolescentes e homens ativos.

Regras para uma vida saudável

10 aos 14 anos
Trata bem de ti.

Alimentos bons ou dietas boas?
Temos necessidades nutricionais muito variadas: proteínas, gorduras, hidratos de carbono, fibras, vitaminas, minerais... uma lista compridíssima que nem cabe aqui.
Por isso, não existe um único alimento capaz de nos proporcionar tudo o que precisamos (a não ser o leite materno...). 
É o conjunto de alimentos que ingerimos, num dia, numa semana, que satisfaz (ou não) as nossas necessidades e define os nossos hábitos.

POR ISSO... Boas notícias!
Se, numa refeição, não consegues nutrimentos de um certo tipo, compensas na seguinte. Não há propriamente alimentos bons ou maus, mas dietas boas e más. 
O que conta é se o conjunto da tua alimentação é equilibrado.
Em resumo, 10 conselhos para te manteres em boa forma:
1. Aprecia os alimentos.
Experimenta diferentes sabores, partilha-os com a família e os amigos. 
A mesa deve ser uma festa.
2. Não saltes o pequeno-almoço.
Se saltamos esta refeição ficamos mal-humorados, sonolentos e aprendemos pior. 
A médio prazo, podemos até ficar mais gordos.
3. Varia os alimentos.
Para estarmos bem, precisamos de 40 tipos diferentes de vitaminas e minerais. 
A melhor forma de os obter é comer alimentos variados. 
4. Os alimentos que devemos comer em maior quantidade são os que nos dão energia, vitaminas e minerais. Sabes quais são?
O arroz, as massas, as batatas, o pão, os cereais, os frutos e vegetais. Em cada refeição deves sempre incluir alguns destes alimentos.
5. Come frutas e vegetais em todas as refeições.
Come, pelo menos, 5 porções em cada dia para o teu corpo não adoecer.
6. Aprende a conhecer as gorduras.
Gorduras em excesso fazem mal. Sobretudo as saturadas que existem nos bolos, carnes gordas, batatas fritas, manteiga, etc. Tenta equilibrar: se comes mais gorduras numa refeição, come menos na seguinte.
7. Não fiques muitas horas sem comer.
Não te esqueças de fazer uma pequena refeição entre as refeições principais. 
8. Lembra-te de beber água!
Nos dias quentes e a seguir a praticares desporto e não só...
9. Cuida dos teus dentes.
Lava-os, pelo menos, duas vezes por dia. Nem é preciso dizer porquê...
10. Mexe-te!
Corre, salta, joga à bola, anda de bicicleta. Não fiques demasiadas horas em frente a um ecrã.

Materiais Pedagógicos

10 aos 14 anos
Um documento que aborda a temática da roda dos alimentos. Contém informações, jogos e atividades.
Um documento que aborda a temática da Roda dos Alimentos, de uma forma lúdica e simples, com jogos e atividades para os alunos testarem os seus conhecimentos.